8.1.14

Lágrimas

Elas fogem, saltam de um precipício e morrem no meu peito. Até elas desistem de lutar e elas bem que lutam bastante com tudo aquilo que vêm, lutam para se manterem fortes e não se perderem. 
Elas ficam sem força para lutar e assim eu também. Perco tanta força, perco-me ao perder as forças e talvez um dia não me encontre mais. Já têm momentos que ando mais para lá do que para cá. Grito. Custa a voltar a mim, custa voltar a encontrar-me e a encontrar as forças. E quem sabe um dia encontre a paz. Talvez acabe como elas, um dia. 

8 comentários:

Cácá disse...

princesa, tens de te desfazer dessas lágrimas.

Catarina Prata disse...

As lágrimas são parte de ti, pequena. Por vezes, é nelas que deitamos fora tudo o que nos magoa. Não as afugentes, mas acarinha-te.

nês disse...

Verdadeiramente fantástico! Não sei como consegues transmitir assim tão bem toda essa dor que sentes... Força!

Andreia Morais disse...

Eu acho que, por vezes, é mesmo preciso libertar todas essas lágrimas, para depois conseguirmos recuperar com ainda mais força. Acaba por nos fazer pior conte-las do que deixa-las cair, porque isso só nos faz guardar algo que não nos está a fazer bem

Força*

Andreia Morais disse...

Eu entendo, também tenho essa dificuldade. Até tenho lágrima fácil, mas não gosto nada que me vejam a chorar, até porque depois disso vêm imensas perguntas

Lara disse...

Custa tanto encontrarmos-nos... acho que ninguém o consegue, definitivamente
Adorei o blog, vou seguir :)

Andreia Morais disse...

Vou mudar de blog. Vou deixar de publicar no «Parte do que Sou» para me instalar definitivamente n' «As gavetas da minha casa encantada».
Espero por ti no meu novo porto de abrigo. Estou em:

http://asgavetasdaminhacasaencantada.blogspot.pt

Litopedian disse...

Força nessa fase!