23.10.13

Sinto-me como uma garrafa à deriva no mar com o intuito de ir parar a algum lugar, mas não como as outras que levam mensagens de amor ou de socorro. Sinto-me vazia e perdida, tal como essa garrafa. 
Não culpo a chuva por este meu estado que eu diria depressivo, pelo contrario agradeço-lhe mil vezes pelo conforto que me dá na hora de ir dormir. Ninguém me compreende que parece que por vezes deixo de ser humana, parece que não pertenço a esta sociedade e até na escola chego a ter um comportamento agressivo, esse que me tem possuído de forma mais regular este ano lectivo, talvez culpe a escola por isso, culpo os testes, a quantidade de matéria por período, a maneira de como muitos professores nos tratam, tudo, visto que ando de mal com tudo.
Espero que por fim a garrafa chegue direito a alguma praia e que acaba por voltar a encher-se de alegria, porque é disso que eu sou feita, bem lá no fundo.

5 comentários:

Tiz disse...

Acredito que em breve serás tu mesma, tal como eu te conheço.
Fico contente por ver que vens mais vezes ao blog!
Sabes esse estado não é único em ti. Eu também o tenho, talvez de uma forma mais agressiva, talvez por nao culpar mais ninguém para além de mim, talvez por me odiar dia sim dia sim. Talvez pela falta de todas as horas de desporto por dia. Talvez me culpe a mim por ter estado no sitio errado à hora errada e depois de tudo não ser capaz de levantar a cabeça e lutar por mim. Todos os dias acordo com esse peso e agora que já nada depende de mim já ninguém pretende lutar por mim quando eu não o faço!
Felicidades***

filipa alexandra disse...

Oh, és um doce!
Não deixes nunca de escrever!

sophia disse...

também o espero doce. continuas com uma escrita maravilhosa, como sempre

sophia disse...

obrigada princesinha, o mesmo te digo

sophia disse...

ora essa